MONTALEGRE: Trabalhos na Piscina Municipal já arrancaram

2022-06-07 11:53:01

A Piscina Municipal de Montalegre será alvo de melhoria num investimento de cerca 1,4 milhões de euros, comparticipado em 600 mil euros por fundos comunitários.


Depois de vários anos encerrada ao público devido ''aos elevados custos de funcionamento'', já arrancaram no dia 6 de junho os trabalhos de requalificação da Piscina Municipal de Montalegre que deverá voltar a estar ao serviço da comunidade, no verão de 2022, disse a autarquia barrosã.

A Piscina Municipal será alvo de melhoria num investimento de cerca 1,4 milhões de euros, comparticipado em 600 mil euros por fundos comunitários. A garantia foi dada por Orlando Alves, Presidente da Câmara Municipal, que explicou que o município vai trabalhar num projeto cujo fim passa pela ''incorporação de novas tecnologias, com maiores ganhos de eficácia energética e de proteção ambiental, menos poluidores''.

A notícia da intervenção vai ao encontro dos desejos da população, com foco particular nas escolas e em quem pratica atividade desportiva.

A Piscina Municipal foi inaugurada em janeiro de 2005 e o equipamento encontra-se bastante destruído, quer no interior e exterior. Com uma área bruta do edifício de 1.632,23 m2, a existente Piscina Municipal de Montalegre é constituída por uma piscina de 25 metros, um tanque de aprendizagem, piscina infantil, e áreas complementares como balneários, acessos, zonas dos funcionários, casas de máquinas e outras áreas técnicas. A piscina de maior dimensão tem 25m por 12,5m, com uma profundidade em rampa de 1m a 1,75m, e seis pistas com blocos de partida colocados no topo de maior profundidade. O tanque de aprendizagem, piscina infantil, de 12m por 6m, tem uma profundidade máxima de 0,40m e tem três patamares de acesso à parte mais profunda. Da sua constituição fazem parte, também, zona de balneários, instalações sanitárias, posto médico, circulações, receção, sala dos funcionários, zona de piscina e chapinheiro. A zona dos balneários é climatizada e ventilada através de uma unidade de tratamento de ar equipada com bateria de água quente. A zona da piscina é climatizada, ventilada e desumidificada por duas unidades desumidificadoras. A preparação de AQS e o aquecimento dos tanques das piscinas é efetuada por caldeiras a gás.

Entre o conjunto de intervenções a executar está a implementação de isolamento térmico do teto, substituição para iluminação LED, instalação de coletores solares para produção de AQS, água quente sanitária, substituição para caldeiras a pellets, instalação de painéis solares, implementação de novos revestimentos de pavimentos e paredes interiores, separação da nave principal da nave do tanque de aprendizagem, garantir o isolamento térmico das fachadas, bem como a aplicação de um novo acabamento de forma a proteger o isolamento colocado. Os vãos envidraçados serão substituídos por caixilharia com vidro duplo e corte térmico adequados à função a que se destinam, que garantam o isolamento térmico e que mantenham a temperatura constante no interior.

A obra será financiada pelo Portugal 2020, através do Programa Operacional do Norte, e da União Europeia, através do FEDER, Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Sara Esteves

 


Subscrever newsletter



Login



Recuperar acesso