REGIÃO: “Condições atmosféricas adversas não explicam todos os desenvolvimentos que em matéria de incêndios têm ocorrido” diz a DORVIR do PCP

2022-07-20 18:01:56

A DORVIR - Direção da Organização Regional de Vila Real do PCP considera que “as atuais condições atmosféricas adversas, nomeadamente a situação de seca severa que afeta todo o distrito e a recente onda de calor, não explicam todos os desenvolvimentos que em matéria de incêndios têm ocorrido ao longo dos últimos dias no distrito”, explica esta Direção Organizacional em nota de imprensa enviada à comunicação social.

Na mesma nota sobre os incêndios que ocorreram nos últimos dias nos concelhos de Chaves, Murça, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar, a DORVIR realça que este conjunto de incêndios “exige um reforço adicional e imediato de meios de combate aos incêndios (…) e medidas adequadas”.

A Direção da Organização Regional de Vila Real do PCP refere ainda que o Governo tem remetido “para os pequenos proprietários a responsabilidade da prevenção de incêndios, numa atitude profundamente injusta do ponto de vista económico e social”, sendo que “as razões de fundo para a gravidade destes incêndios estão na falta de vontade do Governo PS em dotar a política pública florestal com os meios humanos e técnicos necessários para o ordenamento e proteção da floresta, em conjugação com uma política de proteção civil, desordenada e desprovida de um sério investimento no apoio e no reconhecimento do papel central dos bombeiros. Por mais propaganda que o Governo e Presidente da República façam procurando responsabilizar as populações, tal facto não pode ser alterado”, lê-se em comunicado.

Esta direção regional termina a nota de imprensa a abordar a discussão do Orçamento de Estado para 2022 onde o PS “votou contra a proposta do PCP para aumentar o financiamento das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários (AHBV); contra a revisão do protocolo entre as AHBV, o INEM e a ANEPC de modo a cobrir os custos dos serviços prestados; contra o apoio de 70 milhões de euros em obras de manutenção e requalificação em quartéis; contra o acesso ao gasóleo verde, assumindo a designação de gasóleo de emergência, etc. Note-se ainda que o PS foi acompanhado pelo PSD várias vezes no seu voto contra. O PCP não desistirá de lutar por melhores condições para os Bombeiros Portugueses, nem de lutar por alterações urgentes à política florestal e agrícola, que permitam recuperar o ecossistema florestal e o seu potencial perdido, através de um ordenamento florestal e do território pautado pelos interesses nacionais e não pelos interesses dos grandes grupos económicos”.


Subscrever newsletter



Login



Recuperar acesso