BOTICAS: ARS Norte preocupada com a mobilidade no verão

2020-07-22 12:23:25

A Administração Regional de Saúde do Norte (ARS Norte) está preocupada com a mobilidade na época de verão e com a preparação do inverno. O autarca de Boticas relembrou a situação vivida nas Extensões de Saúde e a preocupação perante a reabertura de fronteiras.

O Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, participou em mais uma reunião por videoconferência com a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS Norte), em representação da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT), onde foi feito um ponto de situação relativo à evolução da pandemia da covid-19 na região norte.

A ARS manifestou a sua preocupação relativamente à fase que estamos prestes a iniciar, com a chegada dos meses de verão, que significam, em muitos casos, férias e “uma grande mobilidade de pessoas”, quer internamente no país, quer com chegadas do estrangeiro, uma “situação que preocupa, uma vez que desde 1 de julho, com a reabertura das fronteiras com Espanha, deixou de existir qualquer controlo às entradas e isso pode permitir a circulação de pessoas portadoras da doença”.

Para além desta fase, a ARS manifesta ainda a necessidade de “preparar a fase de inverno e a prevenção de doenças respiratória” que, juntando-se ao contágio por covid-19, pode revelar-se “uma situação muito preocupante”. Perante estes cenários, e admitindo que “depois de um decréscimo dos casos de infetados existem evidências de algumas subidas, com a disseminação de pequenos surtos dispersos”, a ARS sublinha a necessidade de continuar a realizar-se um trabalho localizado, de sensibilização das populações e de continuar a alertar para a necessidade do uso de máscara, da prática das regras de etiqueta respiratória e do distanciamento social. “Estamos praticamente a voltar à primeira fase, em que é necessário sinalizar e identificar muito bem cada caso de contágio para evitarmos a disseminação comunitária”.

Apesar da abertura das fronteiras, “a GNR deveria estar presente, tendo um papel pró-ativo e de sensibilização para todos os que chegam a Portugal, relembrando as medidas e as normas emanadas pela Direção Geral de Saúde que todos estão obrigados a cumprir. Quem não cumpra deve ser penalizado de acordo com o que está preconizado na Lei”, garantiu Fernando Queiroga, Presidente da Câmara Municipal de Boticas que alertou ainda para a situação vivida nos Centros de Saúde, em particular nas regiões do Interior do país. “As consultas que foram canceladas estão a ser retomadas, mas parece não existir um critério definido para quem é chamado primeiro, retomando-se essas consultas de uma forma que me parece perfeitamente aleatória. Acresce que as consultas são efetuadas com hora marcada e os utentes são impedidos de esperar dentro dos Centros de Saúde, sendo obrigados a fazê-lo no exterior, onde começam a ver-se alguns aglomerados. É difícil recuperar os atrasos, mas é importante que haja uma organização diferente, até porque os transportes públicos nestas regiões são escassos e obrigam a que haja muitas pessoas a deslocarem-se em simultâneo e a tempos de espera de horas para serem consultados”.

 


Subscrever newsletter



Login



Recuperar acesso