CHAVES: Utente de lar da Misericórdia celebra um século de vida

2021-06-22 17:47:03

Celebrar um século de vida em tempo de pandemia

Inês do Nascimento Lopes, utente da Santa Casa da Misericórdia de Chaves completou um século de vida, na passada sexta feira. Desde 2008 que reside no Lar Padre Justino Magalhães, Casas dos Montes, um dos dois equipamentos sociais da instituição que não chegou a ter casos de infeção do novo coronavírus.

Dirigentes, direção técnica, colaboradores e restantes utentes da instituição cantaram os parabéns a Inês do Nascimento Lopes.

“É importante para a instituição e é um privilégio para nós assinalar esta data”, começou por dizer o provedor da Misericórdia de Chaves, Jorge Pinto de Almeida, endereçando palavras de apreço à aniversariante, que recebeu a festa de aniversário, em tempo de pandemia.

“Sempre com um sorriso nos lábios e sempre pronta a ajudar”

Ainda que com as devidas distâncias, três dos quatro filhos de D. Inês estiveram presentes naquele dia tão especial.

Embora conscientes do cumprimento das normas exigíveis em contexto pandémico, o corte dos laços relacionais de proximidade é, de acordo com os filhos, um dos maiores constrangimentos sentidos, atualmente, “com esta idade é fundamental o afeto. Essa proximidade que de certa forma substituía o cansaço do cérebro e de memória que, entretanto, se foi perdendo, ao longo do tempo, como é normal”, referiu Delmar Palas que nunca imaginou comemorar um século de vida da mãe, em plena pandemia.

“A maior felicidade para ela, agora, era podermos dar-lhe a mão”, acrescentou o primogénito, Gilberto Palas.

“Sempre com um sorriso nos lábios e sempre pronta a ajudar”, é assim que os filhos definem a centenária aniversariante, natural de Bouça, Mirandela.

Completou a terceira classe, sabe ler e escrever, mas era no trato com os outros que se sentia feliz e a prova disso foi o comércio que manteve na aldeia, como explicou Delmar Palas, “tinha uma vocação especial para o comércio. Ouvia muito as pessoas e entendia-as”. “Ninguém ia a casa dela, que não saísse de lá com alguma coisa, fosse o que fosse”, acrescentou Gilberto Palas, como prova da generosidade da mãe.

“Sem ser aquela mãe galinha, mas sempre preocupada com o bem-estar dos filhos e de quem a rodeava”, observou Delmar.

Uma atenção, sem limites, que sempre dedicou aos outros e que os filhos retribuem. Para além do testemunho de “humanismo cristão, dos princípios e os valores da seriedade, da honestidade e do amor ao próximo” que a mãe sempre lhes incutiu, sabem que a maior alegria dela é ver a família “junta e unida”. Uma família que conta já com 10 netos e 14 bisnetos.


Viver uma pandemia num lar que não teve casos de covid-19


Apesar de dependente em praticamente todas as atividades da vida diária, Inês Lopes reage a estímulos externos, com a mesma “candura e serenidade” que sempre teve. “É sempre fantástico conseguir comemorar os 100 anos de alguém, porque é uma coisa que não é comum”, mas quando se trata de alguém que “viveu uma pandemia, ainda é mais incrível”, frisou Carina Evangelista, diretora técnica do Lar Padre Justino Magalhães, um dos dois equipamentos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Chaves que, desde o início da pandemia, não teve nenhum caso de infeção pelo novo coronavírus.

Embora todos os residentes e profissionais daquele lar, tal como das restantes estruturas residenciais para pessoas idosas da instituição, já tenham sido vacinados durante a primeira fase de vacinação contra a Covid-19, a preocupação mantém-se, “os receios continuam”, disse, assegurando que “os cuidados a manter têm que continuar, com os procedimentos de limpeza e desinfeção constantes e o uso dos equipamentos de proteção individual”.

Fonte: Santa Casa Misericórdia Chaves

 


Subscrever newsletter



Login



Recuperar acesso