MONTALEGRE: Autorizada exploração de volfrâmio no concelho

2021-11-05 11:51:05

Segundo a Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), foi assinado a 28 de outubro com a empresa de Braga Minerália, o contrato de concessão para a exploração de volfrâmio e de outros minerais na aldeia de Minas da Borralha, em Salto no concelho de Montalegre.

Esta concessionária pretende extrair volfrâmio (ou tungsténio), estanho e molibdénio. Contudo antes do arranque dos trabalhos a empresa terá que ‘’obter uma Declaração de Impacte Ambiental, favorável ou favorável condicionada, nos termos dos contratos, para efeitos de poderem iniciar a exploração’’.


Para além do contrato de concessão de exploração em Minas da Borralha, o Governo autorizou mais quatro empresas a explorarem minerais nos concelhos da Covilhã, Fundão, Armamar, Leiria, Grândola e Alcácer do Sal. A PANNN - Consultores de Geociências quer explorar lítio e estanho na Serra da Argemela, nos concelhos de Covilhã e Fundão. A Iberian Resources Portugal quer extrair tungsténio e estanho em Vila Seca e Santo Adrião, no concelho de Armamar. A Adelino Duarte da Mota vai extrair caulino na Serra do Branco, em Leiria. E a Redcorp / EDM vai explorar cobre, chumbo e zinco na Lagoa Salgada, nos concelhos de Grândola e Alcácer do Sal.

O jazigo da Borralha foi explorado durante o século XX e constituiu-se como a segunda maior exploração mineira portuguesa. Neste jazigo o minério foi explorado a partir de filões de quartzo mas foram também reconhecidas duas brechas a de Venise e a de Santa Helena que esta empresa pretende reaproveitar uma parte da área. A exploração de volfrâmio nesta aldeia começou em 1902 e terminou em 1986.

Algumas associações, movimentos anti minas e moradores contestam a reativação da exploração mineira na Borralha, que já empregou 2 mil trabalhadores, e alertam para os impactos ambientais, na saúde e na agricultura.

Fotografia: DR

 


Subscrever newsletter



Login



Recuperar acesso